terça-feira, 26 de maio de 2015

Onde foi parar o Marketing do Digital?

Cada vez mais o Marketing Digital se faz presente na vida dos usuários, principalmente em quem possui negócio próprio ou quer empreender. E, na mesma proporção, empresas prestadoras de serviços digitais emergem freneticamente para atender a esta demanda. Mas será que estas empresas estão realmente aptas a oferecer Marketing para o ambiente online? Ou será que estamos lidando com “profissionais” que utilizam o termo Marketing Digital como mera “força de expressão”?

Lamentavelmente, muitos negócios que contratam serviços em Marketing Digital são envolvidos por um discurso evasivo, pouco esclarecedor, porém muito intimidador, do tipo: “se sua empresa não está no Google, não existe”. Você acredita nessa premissa? Deveria! Mas não pelo discurso ameaçador e, sim, por fatos.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Quanto devo investir na minha primeira campanha no Google AdWords?

Anunciar no AdWords é, basicamente, participar de um leilão.

Tentar estimar o custo do clique sem dados preliminares de campanhas em atividade pode ser um equívoco, uma vez que os anúncios acionados por palavras-chave e cada uma delas possui um índice de qualidade calculado por diversas variáveis, como: relevância do anúncio, taxa de cliques esperado, experiência do usuário com a página de destino, relevância do conteúdo da página de destino, entre outros.

Além disso, deve-se levar em consideração que o valor dos cliques varia também de acordo com as regras estabelecidas para exibição dos anúncios (posição média) e lances máximos para cada palavra. Todo este processo faz parte do trabalho de otimização.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Web Analytics: a Taxa de Rejeição assusta você?

Uma das grandes tarefas em estratégia digital está em coletar dados e analisá-las. Como ferramenta de apoio para esta função, usamos alguma plataforma para esse fim.

Uma das mais famosas no mercado (talvez a mais) é o Google Analytics. Uma ferramenta poderosa (e gratuita!!) que, integrada a outras ferramentas Google, é capaz de nos apresentar dados incríveis de acesso ao site que queremos monitorar.

Entre esses dados estão: número de acessos, percentual de novos visitantes no período, número de visualizações de página, tempo médio de permanência dos usuários no site, páginas mais visitadas, regiões que geram mais acessos, formas como o usuário acessou o site (origem), entre tantos outros categorizados de três formas: métricas, segmentos e dimensões.

Porém, ao longo da nossa jornada como analistas, percebemos que a Taxa de Rejeição é a métrica mais assustadora e, talvez, a menos compreendida por quem faz a leitura desses relatórios de acesso.