segunda-feira, 14 de abril de 2014

O poder do #Instagram para as empresas

Pensa-se nas redes sociais como algo novo, moderno, oriundo da evolução tecnológica e da nova forma de relacionamento interpessoal. Mas a história e a antropologia nos mostram que o ser humano cria redes sociais desde o início de sua existência. Povos, tribos, famílias e grupos têm sido definidos e caracterizados por semelhanças e afinidades de comportamentos, usos, costumes, línguas e linguagens.

E a forma mais primitiva de se registrar eventos, fatos e histórias, encontram-se impressos em paredes, cavernas e blocos de pedras, onde a comunicação e tentativa de perpetuação da vida contada se dava por desenhos e pinturas, antes mesmo da existência da escrita em forma gráfica.

A evolução humana vem, ao longo do tempo, delimitando e determinando a forma como os grupos se relacionam e se comunicam. Assim, também, a evolução tecnológica estabelece novos paradigmas de relacionamento na medida em que o comportamento humano compreende que a informatização e a globalização da informação passa a se concentrar em um meio comum: a internet.

Por isso, afirmo: rede social não é novidade; rede social não é modismo; rede social é comportamento. Novidades são as plataformas digitais que têm sido criadas para suprir essa demanda exigida pela velocidade da informação e pela característica das gerações que se seguem. E das duas características fundamentais que destacamos na história da existência do ser humano (relacionamento e comunicação visual), hoje, no auge da presença das plataformas de redes sociais, nenhuma supre tão bem, de forma simples e direta, quanto o Instagram.